teoria das cebolas

quando você acorda de sonhos intranquilos e passa um sábado meio parado e chega em casa e fica três horas no telefone com algum gênio e você mexe tanto em algumas coisas lá do dentro que tem sonhos junguianos decifrados in loco. Acorda terapeizada e, por isso, mais confusa.

eu e meu irmão chegamos no sábado à teoria das cebolas.

funciona assim: desde o primeiro microssegundo de sua vida, a cada aprendizagem que você tem desde o momento que entende o que é o ar, o que é a luz e a sua mãe, desde seu primeiro momento de consciência, você passa a acumular camadinhas entre seu ser e o mundo.

como uma cebola.

as camadinhas vão se acumulando com o tempo. algumas são fúcsia, outras translúcidas, algumas são marrons, tristes. Outras são como prismas que decompõem a realidade, como uma capa do Pink Floyd.

às vezes a vida real é mais bonita que o real através delas. outras, fica baça, sem graça e triste.

nossa obsessão é tirá-las da frente. na verdade, é uma obsessão de uns poucos que percebem que elas existem.

mas o segredo é que somos essa cebola inteira. não tem como tirá-las. só com o esquecimento completo. mas daí não seríamos mais nós mesmos.

somos seres de memória.

então, tentamos abrir um buraquinho na cebola, tentamos pelo menos notar que ela existe e entender que assim como nós mesmos não enxergamos as coisas como elas de fato são, os outros, através de suas particulares cebolinhas, também não.

o milagroso então, nesse cenário autista, nessa grande plantação de cebolas egoístas, é que a gente se comunica, se entende, se ama.

amor é um milagre.

os grandes mestres transfiguram suas cebolas. como os alquimistas. e elas passam a translúcidas, todas. Estão ali, mas não atrapalham muito.

e a gente segue, encebolados.

Anúncios

6 thoughts on “teoria das cebolas

  1. Então não temos como tirar as cascas da cebola? Tava ficando muito feliz com a expectativa de me descascar a apreender, enfim, a realidade. Porque os cursos de linguística já tinham me desmotivado, dizendo que a língua já era um empecilho pra isso, mas a teoria das cebolas tinha me dado uma força nova =\

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s