poema

Sem a pressa da cidade à mesma velocidade meu corpo segue.
Regulam o tempo os semáforos,
as escadas rolantes,
os horários de cinema,
os metrôs,
a chuva.

Tudo aquilo que não afeto se aglomera nas encruzilhadas.

Regulam o tempo os semáforos,
os outros corpos, todos com pressa.

Regulam o tempo os outros corpos.                                                                                 Estou sozinha.

O café esfria rápido sob o ar-condicionado da loja de livros.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s