do tempo

-I-

É a água que fura o barco

atolado na areia da praia.

E uma casa é construída manualmente como o são suas maquetes.

 

Esta casa que constroem sob minha janela

são ruínas desta mesma casa em outro tempo.

 

-II-

 

O tempo está na cesta de maçãs e a morte na semente.

 

A morte é ainda mais antiga:

a morte está no começo do mundo

e antes.

 

-III-

Não vai durar para sempre a semente.

Nem o amor.

Ou o barco que derrete com a chuva nas areias de Lisboa.

Anúncios

One thought on “do tempo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s